DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

20 de out de 2014

ACT 2014 - Em terceira rodada, jornalistas e patrões ainda não fecham acordo coletivo



April O'neil - Assessoria Sindjor-MT



Os jornalistas de Mato Grosso terão, pelo menos, mais dois encontros com o patronato local para fechar o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2014-2015. Na última terça-feira (14.10), foi realizada a terceira rodada de negociação para tratar das cláusulas ainda não discutidas. A próxima rodada será no dia 27 de outubro, às 9h, na sede do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT).

Compareceram a esta terceira rodada representantes dos veículos de Comunicação: Grupo Gazeta, Mídia News, Folha do Estado, SBT, Circuito MT e Revista RDM. Representando a categoria, as diretoras do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor MT), Priscila Mendes, Aline Romio, Anelize Giroldo e Luana Soutos. Além disso, o assessor jurídico representando o Sindjor, Bruno Álvares. 

Foram lidas e debatidas uma a uma as seguintes cláusulas: 20 (referente a possibilidade de elaborar um Plano de Cargos Carreiras e Salários - PCCCS - para a categoria), presentes acordaram alteração, no sentido de que as empresas deverão fornecer ao Sindicato, no prazo de 6 meses, informações sobre quais critérios utilizam para variação salarial de seus empregados. Essas informações servirão de base para futura proposta de PCCS do Sindjor e a entidade se comprometeu a não publicizar ou divulgar as informações repassadas pelas empresas; 22, 23 e 24 (referentes a licença maternidade e paternidade), a cláusula 23 (10 dias corridos de licença para pais)foi aprovada sem dificuldade, as de número 22 e 24 deverão ser aprovadas depois de esclarecer como ficará a questão da estabilidade que segue a licença maternidade de 120 dias; 31 (liberação de jornalistas diretores para participar de congressos da categoria), ficou acordado que o texto seria alterado, garantindo aviso com antecedência de 15 dias e 4 dias por semestre; 32 (auxílio alimentação), esta cláusula ficou suspensa para esclarecimentos.

Também as cláusulas 3 (participação nos lucros) e 9 (reprodução de matérias para outros meios de Comunicação) estão suspensas para discussão com mediação da Superintendência Regional do Trabalho (SRT).

Foram debatidas ainda, nesta mesma rodada, as cláusulas econômicas do acordo coletivo (1 e 2).

As empresas aceitaram as correções de INPC referentes aos anos de 2012 (7,16%) e 2013 (6,08%), mas rejeitaram a proposta de ganho real de 9,92%. O representante do Circuito MT, acompanhado pelos colegas, disse que, a princípio, sua empresa não terá condições de oferecer nenhum por cento de ganho real. A Gazeta e o SBT afirmaram que concederam, respectivamente, ganho real de 3,92% e 5,92% a seus funcionários. O retroativo das correções (maio de 2014) deverão ser quitados pelas empresas até o final do mês de março de 2015, quando novo Acordo Coletivo (2015-2016) será apresentado.


Nenhum comentário: