DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

11 de fev de 2014

Sindjor/MT inicia campanha salarial 2014 e prepara eleição de nova diretoria



O Sindicato dos Jornalistas do Estado de Mato Grosso (Sindjor/MT) convoca toda a categoria para participar mais ativamente da luta pelas condições de trabalho e acompanhar o atual momento da entidade, especialmente quanto ao Processo Eleitoral e à Campanha Salarial 2014. Atualmente, apenas um pequeno grupo, composto por alguns da última gestão e simpatizantes, continua lutando e, por falta de força e de pernas, não tem atuado conforme o ideal. Por isso, nesta quinta-feira (13), às 20h, na sede do Sindjor, o grupo que compõe a Junta Administrativa que conduz o Sindjor desde o fim da última gestão, em abril de 2013, convoca a base para se reunir e discutir as reivindicações para o Acordo Coletivo deste ano, esclarecer sobre as Eleições do Sindicato, sobre as lutas e programação de eventos sociais de 2014.

O grupo sabe que, neste horário (19h), as pessoas ainda estão nas redações e, provavelmente, saem cansadas da labuta diária, mas todo mundo está na mesma página onde, infelizmente, a manchete diária é de baixos salários, aviltamento de moral, falta de estrutura e exploração dos patrões com horas extras, não pagamento de férias ou de correção do INPC, sem falar de não depósito de FGTS que tem se tornado uma prática comum em muitos veículos de Comunicação sem que a classe reaja a isso. Portanto, cabe aos jornalistas não escreverem somente para os patrões, mas também escreverem e mudarem sua própria história assim como fazem os professores, médicos e bancários que têm suas lutas fortes retratadas nas matérias diárias.

A hora, portanto, é agora de levar ao Sindjor anseios e novas ideias. O caso é simples, ou a base mostra aos patrões que a força que eles têm na sociedade advém da tão já sofrida classe dos jornalistas - que tem sido desconsiderada de todas as formas ao longo de quase duas décadas desde que seu piso era o maior da América Latina (1995) e hoje não passa de pouco mais de dois salários mínimos – ou é melhor parar de reclamar pelos corredores e chorar nos banheiros por não ter dignidade alguma. Lugar de reclamar é no Sindicato para que ele possa estar embasado na hora de reivindicar os direitos (humanos e trabalhistas).

Visitas

Esta semana um grupo do Sindjor está visitando algumas redações levando os últimos informes e convocando a classe para a reunião de hoje, que será preparatória para a Assembleia Geral que acontece no próximo dia 17 para que, assim, possa ser deflagrada a Campanha Salarial 2014.

Nas visitas, os jornalistas informam que o Sindicato está em Processo Eleitoral, convida para que a categoria monte chapas e esclarece que a próxima gestão será por Colegiado, ou seja, composta por 11 membros que terão a função de responder em atos públicos pela categoria evitando, assim, que somente uma pessoa fique ‘marcada’ como a cabeça de uma classe que tem mais de 1000 sindicalizados atuantes, mas que congrega somente 200.

No dia 30 de janeiro houve Assembleia Geral no Sindicato, quando membros da junta administrativa bem como outros jornalistas trataram das seguintes pautas conforme segue a ATA abaixo. Confira:

1) Prorrogação do prazo de vigência da junta administrativa. 2) Processo eleitoral. Iniciando a pauta 1, a membro da Junta Administrativa da entidade, Priscila Mendes, abriu a primeira assembleia do ano, e fez um breve relato sobre a situação que levou a mudanças no estatuto. Que houve todo um histórico de discussões sobre a necessidade de ampliação da diretoria, para que mais colegas também assumam a responsabilidade de tocar a nossa entidade. Que em março de 2013 foi aprovada em em Assembleia Geral a mudança de gestão para diretoria colegiada, porque assim todos os diretores têm o mesmo poder de decisão e de representação. Disse ainda que as outras mudanças no estatuto têm a ver com a dinâmica do Sindjor. A plenária foi esclarecida sobre a situação administrativa do Sindjor que está sendo administrado por uma Junta Administrativa, desde abril do ano passado e ela tinha legitimidade até 31 de dezembro do ano passado. Nesse período, deveria ser chamada eleição. A Comissão Eleitoral chegou a ser constituída por três jornalistas em assembleia geral no dia 23 de março de 2013 e ainda está em vigor: Noelma Oliveira, Anderson Pinho e Alice Matos. Não houve conjuntura para chamar eleição, porque membros da diretoria tiveram sérios problemas de saúde e ninguém da categoria assumiu a causa, ficando assim o sindicato desmobilizado por um período. A plenária discutiu sobre a importância de organizar os documentos do Sindjor, para que nossa entidade se fortaleça também administrativamente. A plenária também refletiu sobre os problemas conjunturais da profissão: estagiário sem controle, salários baixos, salários atrasados, assédio moral, pressão, horas extras não remuneradas, entre outros. Após essas discussões a plenária votou pela prorrogação do prazo de vigência da mesma junta administrativa até 31 de março, ou seja, por 90 dias. Com realização do processo eleitoral nesse período.


2) Pauta 2: Após discutir sobre a importância de renovação do quadro de diretores do Sindjor, a plenária entendeu que seria importante aprovar um cronograma do processo eleitoral. Ficou definido que será publicado um edital, abrindo a eleição e estabelecendo o período de inscrições de chapas, prazo para campanha e data para as eleições, com finalização do calendário ainda no mês de março. Sem mais nada a discutir dentro das pautas propostas, Priscila Mendes encerrou a assembleia e eu, Keka Werneck, também membro da Junta Administrativa da entidade, lavrei esta ata.



Nenhum comentário: