DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

23 de out de 2012

NOTA PÚBLICA CONTRA O CALOTE PÓS-ELEIÇÕES

O Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor/MT) vem a público cobrar um pouco de decência dos candidatos que contrataram profissionais da imprensa para a construção de suas campanhas eleitorais e, depois de perderem o pleito ou por outros motivos, deram calote nos trabalhadores.

Ora, como um candidato pensa que pode se colocar à disposição da coisa pública e praticar esse tipo de ofensa ao trabalhador? Isso é ilegal e imoral! Jornalista não é joguete na mão de políticos e não deve se comportar como tal.

O Sindjor/MT vai usar de todos os expedientes para cobrar o que os candidatos caloteiros devem a alguns colegas da categoria, que até agora estão a ver navios. Há meios políticos e jurídicos para fazer tal cobrança. Vamos, por exemplo, divulgar o nome dos caloteiros no site do Sindicato. 

Estamos atentos e na luta pelo trabalho digno, lembrando aos colegas jornalistas que também devem se dar ao respeito ao entrarem nesse campo eleitoral, que muitos vezes é na verdade eleitoreiro e sujo. Em um clima de 'guerra', naturaliza-se o vale tudo na disputa. Mas tenhamos foco no nosso papel profissional e ético!

Colegas jornalistas que tenham sido vítimas de calote nessa eleição, favor avisar ao Sindicato (65-3025-4723 - das 12h às 18 horas), sendo ou não sindicalizados. A denúncia pode ser feita em sigilo.

Calotes ocorrem em toda eleição. O próprio Tribunal Regional Eleitoral (TRE) orienta: procurem, individualmente ou coletivamente, a Justiça do Trabalho, porque o assunto é uma questão séria trabalhista. Isso serve para cabos eleitorais, jornalistas, advogados, secretárias, motoristas e demais trabalhadores que costumam atuar em campanhas.

A DIRETORIA

Nenhum comentário: