Jornalistas fecham campanha salarial 2012; piso sobe para R$ 1.600,50


 
Jornalistas de Mato Grosso fecharam hoje, dia 22 de junho, a Campanha Salarial 2012 e conseguiram elevar o piso de R$ 1.500 para R$ 1.600,50, mais um reajuste de 6,7%. Nada próximo do valor reivindicado inicialmente (R$ 3.270 e reajuste de 118%). Mas para o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso, Téo Meneses, esse valor, apesar de representar pouco ganho real, é ó início da luta pelo piso nacional, que pela primeira vez, este ano, foi colocado na mesa de negociação. Segundo o presidente, conquistas mais robustas dependem muito de uma mobilização mais forte da categoria.

O acordo foi selado em reunião convocada pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE).
 
O Sindjor-MT vai continuar buscando o diálogo com os empresários que não participaram do acordo, até porque alguns já demonstraram intenção em assiná-lo. E vai também manter o diálogo sobre o piso nacional (seis salários mínimos), para que ele deixe de ser compreendido pelos empresários como um valor absurdo, mas sim que representa a valorização do profissional da imprensa, que hoje trabalha de forma tão precarizada.
 
O fechamento da campanha será pauta na próxima reunião ordinária do Sindjor, segunda-feira, dia 25 de junho, às 19h, na sede do Sindjor-MT.
 
Meneses lembra que a luta para esse segundo semestre será em torno da sede do Sindjor-MT, que começa a ser erguida. Mudas de plantas frutíferas já foram plantadas no terreno que fica no Centro Político Administrativo (CPA), entre os prédios do Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública. Muito bem localizado. O próximo passo será a instalação do muro, para cercar a área.

Comentários

Que incrível! Parabéns aí pela luta, gente! Beijos, Dafne
Parabens aos colegas pelo avanço. Ainda longe do objetivo final que é a consolidação do piso nacional, porém não deixa de ser mais um degrau conquistado. Abraços
Robson Fraga disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Fraga disse…
Ainda é triste ver o quão desvalorizado está o profissional de comunicação neste tão rico Estado. Infelizmente, o empresariado ainda nos vê como custo, embora devessem nos enxergar como o principal investimento em empresas de comunicação. Afinal, de nada adiantam equipamentos modernos, sofisticados, HD, sem gente qualificada e motivada para operá-los. E com R$ 1600 brutos não vejo qualquer motivação para que um profissional queira ser 'mais'. Embora muitos de nós percebamos salários um pouco melhores, ainda existem colegas fadados ao piso e por eles, junto com eles, precisamos nos mobilizar para buscar dignidade. A situação é tão grave que o Acordo Coletivo precisou ser selado na SRT e não contou com a assinatura de todas as empresas de comunicação instaladas no Estado, tampouco com todas aquelas sediadas na Capital. Mas pelo esforço dos dirigentes do SINDJOR/MT, aos quais agradeço pela luta, conseguimos algum avanço. Vamos em frente, a luta continua. Que Deus nos abençoe e ilumine a mente dos patrões.

Postagens mais visitadas