NOTA DE REPÚDIO: Relação com a Imprensa sem violência

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor/MT) vem a público repudiar, veementemente, a agressão covarde e sem justificativa aplicada pelo prefeito de Barra do Bugres, Wilson Francelino de Oliveira, o Wilson Pescadô, contra a profissional de imprensa Elissa Neves, da TV Record.

A violência no trato com a colega da profissão deixou a diretoria do sindicato e a categoria indignados.

A diretoria lembra que profissionais de Imprensa (jornalistas, radialistas, fotógrafos, repórteres cinematográficos, desenhistas/ilustradores/chargistas, diagramadores/webdesigners) buscam em autoridades respostas para o que ouvem e para o que pede a população.

E como administrador público, o prefeito de Barra do Bugres deve saber que um dos princípios fundamentais da administração pública é a publicidade, como bem determina o artigo 37 da Constituição Federal. 

A direção do Sindjor/MT repudia as atitudes de administradores de tratarem a Imprensa e seus profissionais com violência, como se essa relação fosse algo natural. A postura do prefeito certamente não combina com a cultura e hábitos do povo pacífico de Barra do Bugres.

A direção do sindicato tomará outras medidas para dar um basta na tentativa de administradores públicos, como os da cidade, de se relacionarem com a Imprensa com o viés da violência sem fim, ao invés de mostrarem o que fazem em atos e serviços com o que arrecadam de impostos do cidadão.

Basta de manobras e mecanismos de políticos contra a liberdade de expressão e comunicação! A categoria e o Sindicato não se calarão diante de atos infames como o registrado em Barra do Bugres.

Diretoria do Sindjor-MT 
Cuiabá, 28 de maio de 2012

Comentários

kid noel disse…
A atitude bestial desse pseudo-administrador mostra o que ele realmente é.

Nós do SINTERT-MT, Sindicato dos radialistas de Mato Grosso, vimos repudiar veementemente o ato de violência do prefeito de Barra do Bugres Wilson Francelino de Oliveira, o Pescadô (PSD) contra a jornalista Elissa Neves.

Ao dar um 'pescoção' na referida repórter no momento em que ela exercia o seu ofício,esse ser desprovido de princípios mostra a população sua verdadeira face. Nos fazemos a seguinte indagação - Se por causa de uma pergunta o Sr. Wilson Pescadô age desequilibradamente, como será a sua gestão frente a cidade de Barra do Bugres.

Basta de violência.

Principalmente quando esse tipo de comportamento parte daqueles que tem o dever constitucional de zelar pela integridade física do cidadão.

O Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso, vem pedir as autoridades competentes que não permitam que isso fique impune.

Clamamos por justiça.

Diretoria do Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso. - SINTERT - MT
kid noel disse…
A atitude bestial desse pseudo-administrador mostra o que ele realmente é. Nós do SINTERT-MT, Sindicato dos radialistas de Mato Grosso, vimos repudiar veementemente o ato de violência do prefeito de Barra do Bugres Wilson Francelino de Oliveira, o Pescadô (PSD) contra a jornalista Elissa Neves.
Ao dar um 'pescoção' na referida repórter no momento em que ela exercia o seu ofício,esse ser desprovido de princípios mostra a população sua verdadeira face.
Nos fazemos a seguinte indagação - Se por causa de uma pergunta o Sr. Wilson Pescadô age desequilibradamente, como será a sua gestão frente a cidade de Barra do Bugres.
Basta de violência.
Principalmente quando esse tipo de comportamento parte daqueles que tem o dever constitucional de zelar pela integridade física do cidadão.
O Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso, vem pedir as autoridades competentes que não permitam que isso fique impune.
Clamamos por justiça.
Diretoria do Sindicato dos Radialistas de Mato Grosso. - SINTERT - MTElissa Neves.
robsonpaz2010 disse…
Tenho a companhado a reportagem e estou indignado pela atitude deste sujeito que é representante do povo e que não fosse. Porém repudio a atidtude deste cidadão que era para estar a serviço do povo e pior ainda ele cometeu três agressão, a primeira contra uma cidadã que paga imposto,a segunda contra a profissional em exercício da sua profissão e a última contra a mulher ou seja enquadra na "LEI MARIA DA PENHA".
Robson Pacheco - Sindicalista - SEEB/MT.

Postagens mais visitadas