Cojira: Sindjor-MT discute racismo e Mídia

Em reunião no último dia 27 de fevereiro, o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT) deu um importante passo para contribuir com a construção de uma sociedade mais igualitária. Foi lançada a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-MT), órgão que carrega uma história de luta pela igualdade racial em sindicatos de vários estados brasileiros. 

Em Cuiabá, a Cojira-MT está se organizando à partir de uma lista de discussão on line, da qual já fazem parte 28 jornalistas de Cuiabá, Várzea Grande e Alto Araguaia, cujo objetivo é trocar ideias, fomentar discussões e fazer encaminhamentos. 

A primeira ação da Cojira-MT é a atuação na comissão de movimentos sociais que está discutindo e acompanhando o caso do assassinato do estudante africano Toni Bernardo, de 27 anos, que foi torturado até a morte no dia 22 de setembro do ano passado por dois policiais militares e um empresário. Entre os participantes da comissão estão a Adufmat, a Rusga e o Fenop (Fórum de Estudantes Negros e de Origem Popular). 

Os movimentos sociais pedem que seja revisto o parecer da juíza da 8ª Vara Criminal de Cuiabá, Maria Rosi de Meira Borba, que seguiu a denúncia da promotora Fânia Amorim, do Ministério Público Estadual (MPE). Segundo ela, o crime seria de lesão seguida de morte e não assassinato, como havia sido tipificado inicialmente. Com isso, houve um abrandamento das penas aos acusados. 

A Cojira-MT, dentro de suas limitações, se propôs a fazer e distribuir um boletim eletrônico sobre o caso, informando sobre os passos que estão sendo dados pelos movimentos sociais, e que muitas vezes não são noticiados pela mídia. Este é um esforço para que os assassinos de Toni enfrentem o júri popular e tenham a punição merecida, isto é, que a Justiça seja feita. 

Para o mês de junho, a Cojira-MT está preparando um curso voltado à categoria com o tema “Relações Raciais e Mídia”, que será ministrado pela professora Cândida Soares, pesquisadora do Nepre (Núcleo de Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação) da UFMT. 

A Cojira-MT ainda está em construção, a missão é tão grande quanto o preconceito racial no Brasil. A Comissão está aberta a todos! 

Mais informações e inscrições: cojiramt@gmail.com

Comentários

Anônimo disse…
Pessoal,
Pessoal,

Meus amados e minhas amadas Cojiranas

Estou super emocionada em ver o espaço da Cojira-MT.

É muito legal. É muita responsabilidade. É muita história. É muito comprometimento.

E para celebrar este comprometimento e parceria ad eternum, só lembrando que em poucos dias faremos um ano do I ENJIRA.

Nossa já vamos fazer um ano daquele encontro histórico. Parece que não avançamos, que há um recrudescimento no país.

Entretanto, ao levantar a história do debate sobre questões raciais junto a nossa categoria que começou sistematicamente somente a partir de 2004 fizemos foi muita coisa em pouco tempo.

Amores, só somos seres humanos passíveis de tendinite e todas as ites da vida... até de desemprego... ou melhor... tempo livre para novos projetos.

O bacana é não perdermos de vista que se estamos nos sentindo sós num canto, olhemos para o outro lado que iremos encontrar outros e mais outros e outras e mais outras... e hoje encontrei vocês que encontrarão muitos parceiros com esta convocação que sempre mexerá com os corações e mentes das pessoas: não tem como escapar.

Êba... estou muito feliz...

Vamos celebrar... vamos escrever... pois estamos cotidianamente mexendo numa imensa caixa de Pandora.

Beijos no coração de todos vocês.
Sandra Martins
Cojira-Rio/SJPMRJ

Postagens mais visitadas