DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

15 de fev de 2012

Presidente da OAB/MT pede apuração de ameaça a jornalista

O presidente da OAB/MT, Cláudio Stábile Ribeiro, defendeu a liberdade de informação garantida pela Constituição Federal ao manifestar seu apoio ao jornalista Jorge Estevão que foi ameaçado de morte no último fim de semana. Cláudio Stábile solicitará da Secretaria de Segurança Pública a apuração minuciosa do fato para que se descubra o autor das ameaças. 

“A liberdade de imprensa é um dos pilares da democracia. Nosso país precisa que os meios de comunicação social tenham liberdade de apurar, investigar e denunciar ilegalidades. Não podemos admitir o cerceamento da informação por meio de ameaças e condutas criminosas” ressaltou.

Jorge Estevão é editor do site Hipernotícias. Ele foi ameaçado de morte na madrugada do último sábado (11 de fevereiro), em Cuiabá. Estava parado em seu carro na Avenida Miguel Sutil, próximo ao Jardim Guanabara, quando foi surpreendido pelo condutor de um sedan preto que o ameaçou.

“Quando peguei o celular ouvi o grito. Ao me virar, vi a pistola e o homem gritando - vou te matar, você está entrando na minha área”. Para evitar ser atingido, o jornalista se abaixou e o outro motorista fugiu. Ele tentou
seguir o carro, mas não conseguiu alcançá-lo e nem ver a placa. Jorge Estevão registrou ocorrência junto à Polícia Civil e, por meio da assessoria, a Sesp informou que irá investigar o caso.

Estevão pontuou que não sabe a motivação da ameaça, mas uma das hipóteses seriam matérias investigativas que publicou que teriam desagradado algumas pessoas. O repórter já foi alvo de intimidações há anos, quando fazia reportagens sobre o crime organizado.

O Sindicato dos Jornalistas (Sindjor/MT) divulgou nota de repúdio destacando que “crimes cometidos contra cidadãos indefesos em Cuiabá e Várzea Grande são gritos que devem sensibilizar autoridades para que a impunidade, o crime organizado e a prática de corrupção não superem o dever do Estado de zelar pela integridade física dos mato-grossenses. (...) Estamos atentos e continuaremos a nos indignar e a nos posicionar diante de atitudes e indícios de violência como esses, que produzem estatísticas e lamentavelmente continuam a preencher espaço na mídia sem resposta contundente das autoridades”.


Fonte: Assessoria

Nenhum comentário: