DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

25 de nov de 2011

NOTA - Folha do Estado entra em greve

O jornalismo de Mato Grosso vive um momento histórico na luta por condições decentes de trabalho. Jornalistas da Folha do Estado decidiram entrar em greve a partir da zero hora deste sábado (26), em resistência ao trabalho análogo à escravidão a que estão expostos. A greve é devido ao descumprimento do acordo de pagamento de salários atrasados firmado entre a direção do jornal, o sindicato e os jornalistas, em assembleia no dia 21 passado.


Diretoria do Sindjor-MT comunica à direção greve de jornalistas da Folha do Estado

Trabalhadores da imprensa mato-grossense e a direção do sindicato se sentem envergonhados por ter que realizar duas assembleias em uma semana para discutir o justo pagamento do salário em dia, um direito mínimo para sobrevivência de todo trabalhador.

Ao invés dos jornalistas estarem discutindo questões relevantes ao exercício da profissão, ainda precisam reivindicar direitos primários previstos em lei.


A direção do Sindjor-MT repudia também a mania de alguns dos empresários da comunicação de atrasar salários, como o caso do jornal Diário de Cuiabá. Prática que não se pode tornar comum no negócio da mídia.


Os jornalistas de Mato Grosso, em firme posição para um trabalho decente, vão realizar um ‘twitaço’ nesta segunda-feira (28), com auge de protestos às 14 horas, usando a ‘hastag’ #JornalistasnaForca. E convoca todos os jornalistas solidários a essa causa para assembleia geral permanente nesta segunda-feira, às 18 horas, em frente ao jornal Folha do Estado.


A direção do sindicato informa ainda que tal nota será encaminhada a fontes oficiais e patrocinadores da mídia mato-grossense, como forma de sensibilizá-los quanto à penúria e falta de dignidade dispensada pelos patrões da imprensa aos trabalhadores, que sustentam seus lucros e bem-estar.


O Sindjor-MT não vai aceitar retaliações contra grevistas, como já ocorreu em outras ocasiões semelhantes. O sindicato considera um absurdo o assédio moral aos trabalhadores. E recorrerá à Justiça para a garantia que não haja esta pressão, pois a defesa dos jornalistas será feita com base no acordo coletivo da campanha salarial deste ano com a cláusula que coíbe tal prática.


A direção do sindicato e os jornalistas da Folha reiteram ainda que não vão admitir desculpas que protelem o pagamento justo de salário.


O Sindjor-MT e os membros da assembleia geral permanente exigem respeito à categoria. Basta de salários atrasados!



Diretoria do Sindjor-MT


Cuiabá, 25 de novembro de 2011

4 comentários:

Jonas da Silva disse...

A direção do Diário de Cuiabá e da Folha do Estado deveriam tomar vergonha e regularizar salários atrasados dos jornalistas. Chega de escravidão na imprensa de Mato Grosso. Jornalistas, uni-vos!

Josiane Dalmagro disse...

Eu achei lindo e fiquei muito orgulhosa de ser jornalista na noite de ontem. Foi uma grande vitória da categoria, ter coragem o aberto, para enfrentar essa greve, de peito aberto, mesmo sabendo que, com certeza, haverão retaliações póstumas.

Anônimo disse...

Ah!...Eu também achei lindo...principalmente as 'retaliações póstumas":quem vai sentir o esquartejamento de um jornalismo que passou desta para...pior?
Vamos lá Josiane, deixe de ser deslumbrada e aja profissionalmente!Greve exige convencimento da sociedade para mobilizá-la contra a Delegacxia do Trabalho para que ela coiba estes atrasos.

Rafael Freire disse...

Parabéns a todos! Força nessa luta!