Ata da Assembleia Geral de 21/11/2011

SINDICATO DOS JORNALISTAS DE MATO GROSSO
Gestão “O Sindicato é você” 2011-2013
Filiado à Fenaj-Federação Nacional dos Jornalistas e à CUT
CNPJ:03.990.454/0001-45
Av. Mato Grosso, 167, Centro Norte,Cuiabá-MT-78.005-030
Tel.: (65) 3025.4723
www.sindjormt.org.br
E-mail: sindicatodosjornalistasdemt@gmail.com

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DO DIA 21 DE NOVEMBRO DE 2011


Aos vinte e um dias do mês de novembro de 2011, jornalistas do jornal Folha do Estado se reuniram, na frente da empresa (Rua Tereza Lobo, Concil), às 18h30 em primeira convocação e 19h em segunda, para assembleia geral, convocada formalmente pelo Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT), a pedido da categoria, para tratar da seguinte pauta única: atrasos salariais. A intenção dos jornalistas, indignados com a persistência dessa prática, é também fazer dessa assembleia um ato público, daí a decisão de realizá-la em frente à Folha, que, no momento, está com dois meses de salário atrasado. O presidente do Sindjor-MT Téo Meneses abriu a assembleia destacando que o motivo não é afrontar a empresa, mas sim demonstrar a indignação da categoria que já não sabe mais o que fazer para resolver esse problema histórico. O presidente conclamou todos os trabalhadores da Folha a saírem da redação para participar da assembleia e ato. Foi registrada a presença da diretoria do Sindicato dos Gráficos e da base. Registrada a presença de movimentos sociais que apoiam a causa em questão: Central Única dos Trabalhadores (CUT), Intersindical, Sintep-MT, Sindicato dos Bancários e outros movimentos. O presidente do Sindjor-MT explicou que, antes mesmo de começar a assembleia, a diretoria da empresa queria fazer uma proposta aos trabalhadores. Ele colocou em votação e a plenária decidiu que um grupo entraria para negociar, mas antes haveria uma conversa entre a categoria. Em seguida, um grupo entrou para negociar com a Folha: Sílvio, pelos gráficos; Téo, pelos jornalistas; e Nelson, pela redação. Enquanto isso, a mobilização se manteve em frente à folha. Os jornalistas demonstraram muita insatisfação com essa situação de atrasos salariais que já perdura há anos. Alguns expressaram que não adianta mais tentar acordo e nem mesmo na justiça a empresa cumpre com o pagamento dos salários. O grupo de diálogo voltou com a seguinte proposta que seria acordada com a empresa caso a plenária entendesse que é uma boa saída para a crise atual: A empresa propôs quatro agendas: próxima sexta-feira (25) efetuar o pagamento do salário de setembro; dia 5 de dezembro, o salário de outubro; dia 15 de dezembro, negociar juros devido aos atrasos salariais; e 20 de dezembro, quitar novembro e 13º salário. A princípio a categoria queria dar apenas 48 horas à empresa para que ela quitasse as folhas de setembro e outubro. Mas acabou aceitando a proposta. Porém aprovou estado de greve e, se alguma dessas agendas não for cumprida, vai cruzar os braços a partir das 18 horas de cada data proposta, fazendo no dia uma assembleia geral nesse mesmo horário. A decisão foi compartilhada entre gráficos e jornalistas. Próxima assembleia geral foi marcada para sexta, 25, às 18 horas em frente à Folha do Estado. Sem mais nada a decidir naquele momento, o presidente do Sindjor-MT Téo Meneses encerrou a assembleia – a com maior quórum dos últimos anos - e eu, Ana Angélica de Araújo Werneck (Keka Werneck), diretora de Mobilização do Sindjor-MT, lavrei esta ata. As assinaturas dos presentes na assembleia seguem abaixo.

Comentários

Postagens mais visitadas