Ata da Reunião Ordinária de 25/07/2011

SINDICATO DOS JORNALISTAS DE MATO GROSSO
Filiado à Fenaj - Federação Nacional dos Jornalistas e à CUT
CNPJ: 03.990.454/0001-45
Gestão O Sindicato é você - 2011-2013 
Av. Mato Grosso, Nº 167, Sala 02, Centro Norte, Cuiabá-MT CEP 78005-030.
Tel.: (65) 3025-4723
E-mail: sindicatodosjornalistasdemt@gmail.com

Ata da reunião do dia 25 de julho de 2011

Aos 25 dias do mês de julho de 2011 reuniram-se na sede do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso o presidente da entidade, Teonas Meneses, diretores do Sindicato, jornalistas e estudantes, para reunião ordinária com as seguintes pautas: 1) Assassinato do jornalista Auro Ida; 2) Retomada do FEDC; 3) Livro Ouro/sede; 4) Dissídio coletivo; 5) Fiscalização das empresas; 6) Outras bandeiras que o Sindjor está apoiando. 
1) Assassinato do Auro. Teo explicou que, com relação à cobrança do Sindjor-MT e da OAB para a PF entrar no caso, a resposta sai amanhã (26). Na quinta (28), haverá outra reunião na OAB sobre isso, Téo e Carlos vão e Jonas da Silva chegará um pouco atrasado. O Sindjor encaminhou o seguinte: defenderá um seminário ou debate sobre jornalismo, violência e impunidade. Sindjor também vai propor que o sindicato e a OAB entrem no Fórum de Direitos Humanos e da Terra - Mato Grosso, ao invés de fundarem outro fórum contra a impunidade, já que o primeiro, já constituído, com militantes históricos, também atua nessa frente. Carlos Montondon defendeu um fórum específico contra a violência e a impunidade, puxado pelo Sindjor, mas foi convencido que seria difícil para a entidade arcar com essa responsabilidade. Caio deu a idéia do prêmio de jornalismo ser sobre violência e impunidade e levar o nome do Auro, ou lembrá-lo. A equipe (Caio, Márcio Camilo e não sei mais quem...) vai pensar a melhor forma.2) Reunião do FEDC- Keka e Caio explicaram que o Fórum está sendo retomado e puxado pelo Sindjor. Ambos tentaram mobilizar outras entidades e que a reunião de terça (26) já é a segunda, após longo período desarticulado. Pautas: ofício a ser protocolado no MPE e MPF (Ministériuo Público Eleitoral). Outra pauta: seminário para estudar sobre a mídia.3) Livro Ouro/sede - Carlos Montondon defende esquecer o livro ouro, ele é contra. Téo é a favor, com critérios, como veto aos ficha suja e para jornalistas. Priscila é a favor, desde que parlamentares e empregadores estejam fora dos colaboradores. Keka concordou com a Priscila. Téo ficou convencido que essa é a melhor forma. Caio propôs, também como saída para arrecadar recursos para a construção da sede, um happy hour semanal. Priscila vai ver no Clube de Esquina. Téo vai ver no Sesc e no Fundo de Quintal. Téo e Jonas vão ver também no boteco perto do Sindjor, Dom João, onde tem karaokê.4) Dissídio coletivo - Teo disse que pegou as assinaturas do DC, RDNews e Olhar Direto, que também fecharam acordo. Ele explicou que todas as empresas que quiserem assinar acordo podem e devem. Priscila, Jonas e Alcione ainda não pegaram as assinaturas, como haviam se comprometido. Teo pediu que façam isso até o final dessa semana. Priscila e Jonas, que estavam presentes, disseram que ok. Alcione justificou ausência. 5) Fiscalização das empresas. Teo informou que, conforme deliberado em reunião anterior, vamos esperar até o dia 18 de agosto, para iniciar trabalho de fiscalização das empresas para constatar se estão pagando o piso.6) Outras bandeiras que o Sindjor está apoiando. Jonas da Silva vai à Fiemt na quinta (28) representando o Sindjor-MT em evento sobre campanha contra o Trabalho Infantil. Além do Sindjor, em MT 11 categorias já apóiam a causa. Houve rápido debate sobre o assunto. Após manifestações contrárias ao TI, Carlos Montondon questionou esse entendimento e perguntou: crianças e adolescente não podem trabalhar, mas podem cometer crime? Téo sugeriu fazer esse debate outra hora. Sobre o encontro do Colegiado Nacional de Ouvidores, Keka vai representar o Sindjor. Caio informou que o Formad fará uma reunião com o senador Pedro Taques (PDT), sobre o Código Florestal. Jornalistas com afinidade pelo tema ambiental serão convidados a ajudar o Sindjor nessa representação. Sem mais considerações, o presidente Teonas Meneses encerrou a reunião e eu, Keka Werneck, diretora de Mobilização, lavro essa ata.

Comentários

Postagens mais visitadas