DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

20 de set de 2011

Sindicato dos Jornalistas de MT recorre à Justiça contra atrasos salariais

O Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT) acionará na Justiça os jornais Folha do Estado, Diário de Cuiabá e Diário Regional de Rondonópolis e Sinop por conta do atraso de salários. A decisão foi aprovada pela categoria na noite dessa segunda-feira (19), em assembleia geral, marcando o fim da campanha salarial de 2011 e início da fiscalização das condições de trabalho no Estado.

Foto: Everaldo Galdino
Respaldado pela categoria, o Sindjor pedirá à Justiça que as empresas sejam condenadas a pagar o salário atrasado, além de multa a ser revertida em favor dos trabalhadores. Será solicitada ainda penhora da marca das empresas para garantir o pagamento.

“Essas medidas inéditas em Mato Grosso demonstram que os trabalhadores não suportam mais conviver com tanto atraso salarial, principalmente no momento em que as empresas registram recordes de arrecadação”, afirma o presidente do Sindjor, Téo Meneses. A ação será apresentada pelo advogado Marcos Dantas até o fim do mês.

Durante assembleia geral realizada na noite dessa segunda na sede do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (Seeb/MT), em Cuiabá, a categoria também decidiu assumir como bandeira discussão sobre pedido de intervenção judicial junto às empresas se os atrasos persistirem. A polêmica proposta vai ser ampliada à categoria.

A assembleia do Sindjor contou com trabalhadores de 19 empresas e foi marcada também pelo início da campanha em favor de condições dignas de trabalho, o que incluirá uma fiscalização conjunta com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) nas redações, órgãos públicos e assessorias. Isso vai ser feito principalmente por causa do novo piso de R$ 1.500,00, conquistado na campanha deste ano, e o reajuste de 6,3%, aprovados retroativamente a 1º de maio em acordo com grande parte das empresas de Mato Grosso.

Nenhum comentário: