DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

14 de out de 2010

Indicativo de greve na campanha salarial do Paraná


Depois de rechaçarem a proposta patronal de diminuição de 40% no piso salarial com aprovação unânime do indicativo de greve, os jornalistas do Paraná se mobilizam para um ato no próximo dia 18, data da reunião de negociação da Convenção Coletiva de Trabalho na sede da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná, em Curitiba.

Na última quarta-feira, o Sindijor iniciou as assembleias por local de trabalho, para referendar a posição das assembléias que reuniram mais de 400 profissionais em Curitiba, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Londrina.A grande maioria dos jornalistas, consultados nas redações da Gazeta do Povo, RTVE, RPC e Prefeitura de Curitiba, tem assinado a ata aprovando as decisões das assembléias. Diretores do Sindijor também estão mobilizando estudantes de jornalismo das universidades de Curitiba.

Durante a apuração dos votos do primeiro turno das eleições presidenciais, o sindicato promoveu panfletagem e a distribuição do Mobilizan no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), entre os profissionais que participavam da cobertura, em Curitiba.

O Sindijor-PR tem recebido mensagens de solidariedade de colegas de todo o Brasil. Uma delas, vinda do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, critica a estratégia patronal de “criar dificuldades para vender facilidades”. “É absurdo que no momento em que as mídias regionais registram grandes lucros em virtude do bom momento da economia, o sindicato patronal proponha corte de benefícios históricos”, diz a nota.

Além da redução do piso no interior para R$ 1.200,00 – o piso atual é de R$ 2.049,11-, os empresários da mídia no Paraná propõem o congelamento do anuênio e redução do adicional de hora extra. Além do indicativo de greve, os profissionais reafirmaram a pauta de reivindicações aprovada pela categoria no Congresso de Foz do Iguaçu, no início de agosto. Os jornalistas, que vêem ano a ano outras categorias profissionais obtendo reajustes salariais para além da inflação (caso dos bancários, após a greve nacional vitoriosa), não abrem mão de aumento real, entre outras reivindicações apresentadas, como vale alimentação, plano de saúde e expansão dos comissionamentos de chefia e edição.

As assembléias nas redações continuam nesta sexta-feira, dia 15. No dia 18, a manifestação está marcada para às 8h15, na sede da Aerp (Rua Marechal Hermes, 1440, Centro Cívico), em Curitiba. Quem quiser acompanhar a rotina da campanha pode acessar o blog acordajornalista.blogspot.com ou seguir o Twitter, onde a hashtag #grevedosjornalistas continua movimentada.

Aniela Almeida

Nenhum comentário: