DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

11 de set de 2010

Wilson Santos quer instituir " Sistema de Comunicação " em Mato Grosso



Leia abaixo o artigo do candidato ao Governo do Estado, que divulga em seu site de campanha eleitoral:
" Em Mato Grosso, Comunicação Governamental e Comunicação Pública são usualmente ‘confundidas’, sempre no interesse de governos e em prejuízo do cidadão-contribuinte.
A ‘comunicação social’ operada pelo Executivo, não só tem pouco ou nada de Comunicação Pública – no sentido de mobilizar a sociedade em torno de temas e ações de interesse coletivo –, como também não pode ser definida como legítima Comunicação Governamental, que é – ou seria – o instrumento à disposição dos governantes para que cumpram seu dever constitucional e ético, de prestar contas à cidadania.
- Instituir o Sistema de Comunicação do Governo, articulado por um Conselho de representantes de áreas estratégicas da Administração, que formule e fiscalize as políticas de comunicação, inclusive em relação a verbas publicitárias;
- Definir, no âmbito do Sistema, uma política de longo prazo para ampliar a articulação e refinar a sintonia da Comunicação intragovernamental, democratizando as estruturas internas, estimulando a competitividade, tendo como objetivo a eficácia em benefício do cidadão-contribuinte.
- Sintonia e afinidade absolutas da estrutura de comunicação com todas as áreas do governo e, intimidade do jornalismo governamental com todas as políticas públicas e seus principais agentes, de modo a articular, com competência, a conexão de diferentes áreas de Governo com os veículos de comunicação;
- Ajustar a estrutura de comunicação social do governo à política de regionalização da Administração;
- Adotar como “princípio” que quem melhor conhece de determinada ação, projeto ou política pública é o responsável pela sua implementação, pela sua realização. Desse modo, o jornalista da assessoria governamental deve ser tão somente o articulador ou facilitador do acesso de determinado veículo ao agente público – secretário, engenheiro, etc. – responsável pela área de interesse;
- Convidar jornalistas para breves ciclos de conferências sobre áreas estratégicas do governo;
- Assumir a responsabilidade de potencializar a Copa 2014 como o maior instrumento de divulgação de Mato Grosso em escala planetária;
- ‘Vender’ Mato Grosso ao mundo através da vertente de seu vastíssimo patrimônio natural – suas muitas etnias, Pantanal, Amazônia, Cerrados, seus muitos rios, florestas (ainda preservadas) e vida animal – não apenas como atrativos para o turismo convencional, mas como potencial de atração do turismo cultural, dos investimentos em pesquisas (autorizadas por instituições competentes), da produção de filmes (ficção e documentários), como exemplos."

Fonte: www.wilson45.com.br/WilsonVaiFazer

2 comentários:

Anônimo disse...

Para quem acabou com a Secretaria de Comunicação do Município falar é fácil, imagine o que ele fará com a Secom?

Anônimo disse...

O senhor poderia começar seu trabalho valorizando em seu governo bons profissionais e não os puxa-sacos, como costuma fazer. Extinguir a Secom-Cuiabá, depois reativá-la e não dar condições de trabalho foi o 'ó'. Eu sei porque vivi na pele.