DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

13 de set de 2010

Sindjor-MT encerra campanha salarial de 2010 fixando piso e ampliando conquistas



"Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçara vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem se atreve... A vida é muita para ser insignificante"
(Chaplin)




Atenção, colegas, o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT) encerrou a campanha salarial 2010.

A direção está, neste momento formal de finalização da campanha, homologando o acordo na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), antiga DRT, e no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Fechamos acordo com as empresas que balizam o mercado de trabalho e conquistamos, após 15 anos à míngua, o piso salarial único de R$ 1.380, com validade para a capital e interior.

Após muito diálogo, o que conquistamos segue abaixo. Não conseguimos incluir a cláusula sobre assédio moral, que foi excluída em favor do piso. Mas estão firmadas outras conquistas importantes.

Confira.

** Lembrando que, com relação à TV Centro América, acrescenta-se a este acordo a cláusula do banco de horas, uma exigência da empresa, acordado com a anuência dos trabalhadores de lá.





ACORDO COLETIVO DE TRABALHO FIRMADO PELO SINDICATO DOS JORNALISTAS DE MATO GROSSO (SINDJOR-MT), entidade sindical legalmente constituída, com sede nesta capital, Rua Antonio Maria, 382, sala 304, Centro Sul – Cuiabá-MT, telefone (065)3025.4723, representada por sua presidente Ana Angélica de Araújo Werneck, entre as empresas: Televisão Cidade Verde S.A./Band-CNPJ nº.24.964.108/0001-62, localizado Av. Archimedes Pereira Lima, 1.200, Jardim Itália - Cuaibá-MT, SB Gráfica e Editora Ltda/Jornal Folha do Estado-CNPJ nº.70.431.531/0001-14, Rua Profª Tereza Lobo, 319, Consil, Cuiabá-MT,
Grupo Gazeta de Comunicação-Televisão A Gazeta Ltda/Record-CNPJ Nº.21.242.623/0001-40 – Gráfica e Editora Centro Oeste Ltda/Jornal A Gazeta- CNPJ nº.32.992.455/0001-27 - Rádio Real FM Ltda–CNPJ:14.911.861/0001-36 -Gazeta Digital Ltda–CNPJ:03.978.714/0001-67, todos localizados a Rua Profª Teresa Lobo, 30, Consil–Cuiabá-MT, Jornal Diário de Cuiabá Ltda - CNPJ Nº.03.117.579/0001, localizado a Av. Beira Rio, 4.435, Dom Aquino-Cuiabá-MT, Republica Comunicações Ltda /Circuito Mato Grosso - CNPJ Nº. 04.041.350/0001 - 57, localizado a Av. Miguel Sutil, 4.001-C, Jardim Guanabara-Cuiabá-MT, Ícone Comunicação Integrada Ltda–CNPJ:06.977.087/0001-38 – Localizado a Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 1.386, Sl.807- Jardim Aclimação –Cuiabá-MT, Internet News Net Worck Brasil Ltda/Site Olhar Direto–CNPJ:04.386.647/0001-38, Localizado a Av. Lava Pés, 212, Sl.502, Duque de Caxias – Cuiabá-MT


1ª - REAJUSTE SALARIAL– Os salários dos empregados representados pelo SINDJOR-MT serão reajustados no índice percentual de 5,4% % de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) a partir de 1º de Maio de 2010. ADMITIDOS APÓS DATA-BASE- Será concedido igual aumento aos jornalistas abrangidos pelo presente instrumento admitidos após a data de 1º de junho de 2008, será garantido o percentual proporcionalmente ao período, nos termos do item X da Instrução Normativa Número 1 do TST.
2ª - PISO – Fica estabelecido piso salarial único com vigência a partir de1° de maio de 2010 no valor de R$ 1.380 (mil trezentos e oitenta reais).
3ª – PTS (Promoção por Tempo de Serviço) – A partir de 1º de maio de 2010, todos os jornalistas terão direito a 1% de reajuste referente ao ano trabalhado, considerando a data base como referência e não o contrato de trabalho.
4ª - PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS – As empresas comprometem-se a estudar a possibilidade de implantação do Plano de Cargos e Salários (PCS) e de inserir o assunto nele.

5ª - ESTÁGIO – Fica estabelecido que o estágio de estudantes de jornalismo somente será permitido através de convênio entre Sindicato, Empresas e Cursos de Comunicação com habilitação em jornalismo, dentro das normas pré-estabelecidas pelo programa de qualidade de ensino da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). O Sindicato se compromete a fazer convênio com todas as faculdades do Estado de MT.
6ª - SALÁRIO-SUBSTITUIÇÃO – Na substituição temporária, o empregado substituto, receberá, além do próprio salário, a diferença entre o seu salário e o do substituído, a partir do 11º dia pelo período de substituição. A substituição por período superior a 12 meses (doze meses) acarretará a efetivação na função.
7ª – NOVAS TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS – A empresa fornecerá a seus empregados a oportunidade de sua adaptação às novas técnicas de equipamentos. O processo de adaptação constitui encargo da empresa, de sorte que as despesas com eventuais cursos e aprendizagem correrão por conta da empresa. No sentido de proporcionar maior condição para elevação da qualificação profissional do empregado, os treinamentos realizados em horários diversos ao acordado em contrato de trabalho não serão considerados horas extras trabalhadas, não cabendo, portanto, nenhuma remuneração a esse título. Desde que a participação nos treinamentos e cursos não seja obrigatória.
8ª - ACÚMULO DE FUNÇÃO – Acordada conforme a lei.
9ª – TRABALHOS REPRODUZIDOS – As empresas proprietárias de jornais e revistas, radiodifusão, televisão e veículos da internet se obrigam a pagar ao autor de qualquer matéria impressa, fotográfica, televisiva, radiofônica e pela internet objeto de reprodução uma participação nas seguintes condições: a) - No caso de a matéria ser objeto de venda ou cessão onerosa, participação de 30% (trinta por cento) do valor da venda ou cessão, a ser paga imediatamente após o recebimento; b) - No caso de cessão gratuita também para veículos de outras empresas, a participação será correspondente a 30% (trinta por cento) do salário-dia contratual; idem para as empresas do mesmo grupo. Salvo havendo autorização por escrito acordada entre as partes.
10ª - DELEGADO SINDICAL – É assegurada estabilidade no emprego, pelo prazo de 1 (um) ano e mais 1(um) ano após o mandato para 1 (um) delegado por Grupo com sede no Estado.
11ª – CARTEIRAS DE TRABALHO – A empresa anotará na CTPS a função exercida pelo empregado, obedecendo à nomenclatura das funções reconhecidas na legislação que regulamenta a profissão de jornalista.
12ª – CRECHES – As empresas com sede no Estado, que possuem mais de 16 (quinze) mulheres jornalistas, se obrigam a manter creches ou subsidiar o pagamento de vagas em creches para filhos de jornalistas de 0 (zero) a 5 (cinco) anos, conforme a lei.
13ª – LICENÇA PARA ESTUDANTES – Será concedida aos jornalistas dispensa nos horários coincidentes com provas. O estudante terá que avisar a empresa com antecedência de 72 horas e terá que comprovar a realização da mesma até 24 horas depois.
14ª – GARANTIA PARA APOSENTADORIA – Aos empregados jornalista, no período de1 (um) ano precedente à data de obtenção da aposentadoria por tempo de serviço, fica garantido o emprego ou salário até completar o tempo necessário, cessando esse direito ao fim do prazo especificado no caso de não ser requerida a aposentadoria ou pela ocorrência de despedida por justa causa.
15ª – OBRIGATORIEDADE DE MOTIVAR A DISPENSA – O empregado demitido por justa causa deverá ser comunicado por escrito, do fato gerador desta decisão, sob pena de nulidade do ato.
16ª – LIBERAÇÃO DE DIRIGENTES SINDICAIS – Um (1) dirigente eleito da Diretoria Executiva do Sindjor-MT, desde que não pertençam à mesma empresa ou grupo econômico, fica liberado da prestação de serviço a seu empregador, com pagamento integral de sua remuneração, à disposição de seu cargo sindical, conforme Lei nº 9073 de 1990.
17ª – ESCALA DE TRABALHO – Ficam as empresas obrigadas a comunicar os empregados jornalistas com 12h de antecedência, eventuais alterações nos horários das escalas de trabalho.
18ª – HORAS EXTRAORDINÁRIAS – As horas extraordinárias serão remuneradas com um acréscimo de 50% em dias normais e 100% em repousos semanais e feriados.
19ª - VERBA DE TRANSPORTE – O meio de transporte do jornalista em trabalho externo, quando necessário, deverá será adequado às necessidades de cumprimento da pauta, e as despesas respectivas correrão por conta do empregador.
20ª – DATA DE PAGAMENTO DE SALÁRIO – O empregador fica obrigado a pagar o salário até o 5° dia útil de cada mês.
21ª – COMPROVANTES DE PAGAMENTO DE SALÁRIO – Todas as empresas são obrigadas a disponibilizar aos empregados membros da categoria profissional comprovantes de pagamento salarial com a discriminação, parcela a parcela, das importâncias pagas e dos descontos efetuados.
22ª – PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS – As empresas se comprometem a estudar a possibilidade de implantar o Plano de Cargos e Salários (PCS), com critérios transparentes de promoção.
23ª – FALTAS E HORAS ABONADAS – Acordada conforme a lei.
24ª – LICENÇA MATERNIDADE E AMAMENTAÇÃO – Acordada conforme a lei.
25ª – LICENÇA PATERNIDADE – Acordada conforme a lei.
26ª – LICENÇA PARA JORNALISTA ADOTANTE – Nos termos do artigo 392-A da CLT, incluído pela Lei 10.421/2002, é assegurado à empregada adotante, licença maternidade nos seguintes termos: a) De 120 dias (cento e vinte), em caso de adoção judicial de criança de até um ano de idade. b) De 60 dias (sessenta), em caso de criança de mais de um ano de idade até quatro anos. c) De 30 dias (trinta), em caso de criança de mais de quatro anos de idade até oito anos.
27ª – QUADRO DE AVISO – As empresas permitirão o uso do mural disposto em local apropriado e acessível para divulgar notícias sindicais.
28ª – FOLGA AOS DOMINGOS– É assegurado a todos os jornalistas com atividades nas empresas abrangidas pelo presente acordo o direito ao gozo de folga remunerada em 1 (um) domingo por mês, ou o pagamento dobrado de salário em tais dias de folga, caso a empresa tenha necessidade de seus serviços.
29ª - CAMPANHA DE SINDICALIZAÇÃO – As empresas permitirão a realização de reuniões semestrais para tratar de assuntos sindicais em suas dependências, desde que comunicado com antecedência de 48 horas.
30ª - LIBERAÇÃO DE JORNALISTA – As empresas considerarão justificadas as faltas dos jornalistas, membros da Diretoria do Sindjor-MT, para participarem de congressos dos trabalhadores, por no máximo quatro dias. As empresas deverão ser avisadas com antecedência de 5 (cinco) dias.
31ª – EXEMPLAR DO SINDICATO – As empresas acordantes disponibilizarão ao Sindjor-MT, sem ônus para este, um exemplar de edição diária dos periódicos que publicam.
32ª – AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO – As empresas comprometem-se a estudar a possibilidade de adesão ao Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).
33 ª – ALIMENTAÇÃO - Quando a prorrogação da jornada de trabalho ultrapassar 2 (duas) horas em pauta excepcional, e ainda, coincidir com horário de refeição, obrigam-se as empresas ao fornecimento ou pagamento da alimentação, nesta se compreendendo almoço, jantar, lanche noturno ou café da manhã.
34ª – RELAÇÃO DE DESCONTOS – As empresas disponibilizarão mensalmente ao Sindicato a relação dos empregados que autorizaram o desconto da contribuição associativa mensal.
35ª – TRANSPORTE NOTURNO – As empresas que promovam atividades além das 22h e até as 5h da manhã, estão obrigadas a fornecer, por sua conta, o transporte dos empregados que trabalharem neste horário.
36 ª – ÉTICA DOS JORNALISTAS – Todo jornalista profissional está desobrigado a cumprir qualquer ordem superior que contraria o código de ética da categoria.
37ª – CONVENÇÃO - O presente acordo de reajuste salarial será aplicado a todos os jornalistas representados pelo Sindjor-MT.
38ª – DATA BASE – Fica fixada a data base para o dia 1º de maio vigorando o acordo coletivo no prazo de 12 (doze) meses .

Um comentário:

Anônimo disse...

Só faltou acordar as horas semanais trabalhadas e a sistemática de pagamento das escalas de plantão. No mais, parece que está tudo ok.

Quem sabe na próxima possa-se colocar as escalas de plantão vinculadas às normas da CLT (hora-extra) de forma explícita no acordo.