DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

26 de set de 2010

Câmara cassa mandato de Kirrarinha

Maioria dos parlamentares optou por cassar o mandato de Kirrarinha

SONIA FIORI
Da Reportagem do DC

O vereador por Pontes e Lacerda Lourivaldo Rodrigues de Moraes, o Kirrarinha (DEM), teve o mandato cassado na noite de sexta-feira por seis votos favoráveis, um contrário e uma abstenção. A Câmara Municipal do município conta com total de nove parlamentares. Apenas um não compareceu à tumultuada sessão que julgou o relatório da CPI instalada na Casa de Leis que propôs a cassação de Kirrarinha. A Comissão Parlamentar de Inquérito investigou a agressão física cometida pelo vereador contra a jornalista Márcia Pache, funcionária da TV Centro-Oeste, afiliada do SBT.

Após o resultado, ela declarou que teme pela vida dela e de seus familiares. Insatisfeito com o resultado, um grupo de pessoas ligadas ao vereador tentou agredir a jornalista no local. Ela foi protegida pela segurança instalada na Câmara pela Polícia Militar.

“De hoje em diante é tudo inseguro, mas preciso continuar por meus filhos. Mesmo assim me orgulho porque o que aconteceu vai para uma nova página da história da política. A gente que é mulher não pode se acomodar”, disse. Márcia revelou que está sendo ameaçada por pessoas ligadas a Kirrarinha.

A jornalista destacou ainda que a pressão aumentou nas últimas duas semanas, quando o próprio vereador deu início a uma série de “manobras” na tentativa de intimidá-la. Diante do comportamento do vereador, Márcia buscou na sexta-feira novamente respaldo da Justiça. Ela registrou denúncia junto ao Ministério Público. Na data da sessão, a jornalista atendeu a pedido das autoridades da segurança pública do município para retirada de seus três filhos da residência uma hora antes do início da sessão. A orientação foi cumprida.

Kirrarinha também participou da sessão e teria colaborado para “inflamar” os ânimos dos que compareceram ao legislativo para apoiá-lo. Pessoas ligadas ao parlamentar lotaram o espaço do Legislativo municipal para acompanhar o julgamento. Com a cassação de Kirrarinha, membros do grupo tentaram “revidar” a posição da Câmara, provocando tumulto no local.

O episódio, que chegou a ser notícia nos jornais televisivos em âmbito nacional, provocou desconforto entre líderes do DEM estadual. O Conselho de Ética do Democratas aprovou parecer que pede a expulsão do parlamentar dos quadros do partido. Por ser decisão unânime do conselho, a saída dele da legenda é dada como certa.

No entanto, a desfiliação de Kirrarinha ainda não foi oficializada. Kirrarinha teve seu requerimento de registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas mantém a sua candidatura. A CPI foi presidida pelo vereador Wancley Carvalho (PV) e resultou em processo com aproximadamente 170 páginas.

Nenhum comentário: