DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

24 de mai de 2010

Jornalistas de Mato Grosso conquistam piso depois de 15 anos

Há mais de 15 anos amargando sem um piso salarial fixado em lei, hoje (segunda-feira - 24.05), a categoria de jornalistas de Mato Grosso pode comemorar. Em uma negociação histórica, que durou das 14h às 17h20, a atual diretoria do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT), acompanhada pelo advogado da entidade, Marcos Dantas, conseguiu fechar acordo com quatro empresas: TV Cidade Verde (Band); Grupo Folha do Estado; Grupo Diário de Cuiabá; e Grupo Gazeta de Comunicação.

Das seis empresas que começaram a negociação com o Sindjor dia 11 de maio duas faltaram: TV Centro América-TVCA e Circuito Mato Grosso. Apenas o Circuito justificou imprevisto e se comprometeu a analisar o acordo fechado com as demais empresas, para também assinar o documento.

O acordo, celebrado na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-MT), em Cuiabá, estabelece piso único de R$ 1380,00 para todos os jornalistas registrados que trabalham em Mato Grosso, além de reajuste de 5,4% (de acordo com o INPC) e mais 1% para cada ano trabalhado, a partir do segundo ano de contrato.

Isso significa que o jornalista que perceber salário inferior a R$ 1380,00 passa a receber o valor do piso, retroativo a 1º de maio, data base dos jornalistas e os demais tem o reajuste do INPC, os antigos empregados recebem ainda acréscimo de 1% por ano de casa. O acordo tem validade por um ano. Como a TVCA não justificou a ausência, o Sindjor poderá propor dissídio coletivo à essa empresa.

Memória – Para se chegar a esse piso, o Sindjor deflagrou, no dia 27 de janeiro, a campanha salarial de 2010, com o slogan “15 anos sem piso, sem direitos, sem dignidade e agora... sem diploma”, com a realização da Assembleia Geral da categoria. Na ocasião foi aprovada uma pauta de reivindicação com mais de 40itens reclamados pelos trabalhadores em jornalismo, entre eles um piso salarial de R$ 2.600,00 e reajuste linear de 20% para todos que atuam na área.

O Sindjor então convocou os empresários, marcando a primeira rodada de negociação com o patronato para o dia 04 de março, na sede do Sindjor. O edital foi publicado no dia 23 de fevereiro. Porém, os jornalistas foram totalmente ignorados. Das 13 empresas convocadas para a primeira rodada de negociação em Cuiabá, nenhuma compareceu ou enviou representante para dialogar com a diretoria.

No dia 11 de maio foi chamada a segunda rodada de negociação, dessa vez já na SRTE-MT. Seis empresas de comunicação enviam representantes (TVCA, Grupo Gazeta, Diário de Cuiabá, Folha do Estado, Circuito Mato Grosso e TV Cidade Verde-Band). Após uma manhã toda de diálogo com mediação da chefe-substituta da SRTE, Marilete Molinari Girardi, e várias flexibilizações dos trabalhadores, a proposta encaminhada para análise dos empresários estabelecia piso de R$ 1400,00 e reajuste linear de 5,4% (INPC).

Os representantes dos empregadores levaram a proposta e retornaram com a contraproposta de R$ 1365,00, aceitando o piso unificado. A diretoria tentou argumentar que desde 1995, o salário inicial do jornalista é de R$ 1050,00, avançando um pouco o valor, chegando aos R$ 1380,00.

Nova reunião - Além das cláusulas econômicas, a pauta de reivindicação dos jornalistas é composta por 46 itens das chamadas cláusulas sociais, desse total 17 ficaram suspensas (irão levar para o patronato definir ou não houve tempo para análise na mesa). Para dar continuidade às negociações, uma nova reunião na SRTE-MT foi agendada para o dia 17 de junho, às 09h00.

6 comentários:

Everaldo Galdino disse...

Quero parabenizar a equipe da atual diretoria pela luta e do esforço que vem desempenhando nesses quase três anos de trabalho, pelas ações que realizaram à classe,e com certeza vão realizar muito mais até o final da gestão,
principalmente porque acredito no potencial dessas quatros pessoas
que eu insisto tirar o chapéu pelo empenho e compromisso com a categoria. São eles:
Keka Werneck, Alcione dos Anjos, Márcia Raquel e o Dr. Marcos Dantas, que merecem todo o mérito.
Parabéns!

Keka disse...

Obrigada, Everaldo, bjo Keka.

Pau e Prosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mythologika disse...

Fiquei com uma dúvida: Este valorépara jornada de 5 ou de 7 horas diárias? Porque, se for para 7 horas,na verdade há uma redução, uma vez que proporcionalmente as jornadas de 5 horas passariam a valer 985,72.

Alcione disse...

Mythologika aparece na reuniãod e segunda-feira. É importante que todas as dúvidas sejam apresentadas para a assessoria juridica responder todas. Mas a princípio lhe digo, você está comparando a redução como que? Há 15 anos os jornalistas de MT não possuiam piso legal, o que exiztia era um piso sugerido, que podia ou não ser acatado pelo empregador. Agora e oficial.

Anônimo disse...

Piso é por 5 horas.