DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

1 de mar de 2010

Sindjor tenta diálogo mais uma vez com patronato das comunicações - primeira rodada de negociações marcada para o dia 4 de março

Campanha salarial dos jornalistas de MT

Se não houve avanço, categoria ameaça entrar com dissídio coletivo

Empresários dos meios de comunicação do Estado já foram convocados para a primeira rodada de negociações na Campanha Salarial 2010 dia 4 de março.
Os jornalistas querem piso de R$ 2.600 e reajuste linear de 20% para todos que atuam na área.
Extensa pauta de reivindicações, com cláusulas econômicas e sociais, foi aprovada dia 17 de janeiro em assembléia geral.
Há 15 anos, a categoria não avança nas campanhas salariais de forma significativa, embora tente, de todas as formas, dialogar com o patronato. Daí o slogan da campanha deste ano: “15 anos sem piso, sem direitos, sem dignidade e agora sem diploma”.
Ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) cassou a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo, fragilizando a categoria e reduzindo a força de negociação dos trabalhadores da imprensa.
Reconhecendo o período difícil para propor uma greve geral, o Sindjor-MT acredita na via jurídica para ser ouvida. Portanto, se não houver diálogo, o Sindicato este ano entrará com dissídio coletivo.
Essa primeira convocação do patronato serve para uma conversa inicial. O problema é que os empresários costumam ignorá-la. Faltam ao compromisso, demonstrando desinteresse em ouvir os trabalhadores, dos quais dependem no dia a dia da notícia.
Há 15 anos, o piso dos jornalistas valia 10 salário mínimos; hoje, apenas dois.
A data base dos jornalistas de Mato Grosso é 1º de maio.

Nenhum comentário: