DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

18 de mar de 2010

Sindjor-MT usa Tribuna Livre da Câmara para divulgar campanha salarial


Foto: Fablício Rodrigues

A Campanha Salarial 2010 do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT), foi o assunto tratado na Tribuna Livre da Câmara de Vereadores de Cuiabá, nessa quinta-feira (18). A tesoureira do Sindjor, Alcione dos Anjos, abordou por 10 minutos a luta dos trabalhadores em jornalismo no Estado por melhores condições de trabalho, destacando a campanha deste ano, que tem o slogan “15 anos sem piso, sem direitos, sem dignidade e agora .... sem diploma”.

A Câmara de vereadores publicou matéria sobre a atividade:Em campanha salarial, Sindjor relata descaso dos empresários

Leia abaixo o discurso feito na Tribuna Livre:


Bom dia a todas e todos

Ao tempo que cumprimento o presidente da mesa, os demais vereadores e colegas da imprensa que fazem a cobertura da Câmara, peço licença para, em nome do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso, agradecer ao vereador Sérgio Cintra, que sensibilizado com a situação dos trabalhadores em jornalismo, convidou a presidenta do Sindjor de Mato Grosso, Keka Werneck, para usar esse espaço, tão importante para sociedade cuiabana e em especial para aqueles que não conseguem erguer sua voz e divulgar suas lutas em algum meio de comunicação convencional, como é o nosso caso, os jornalistas.

Infelizmente, por questão de agenda, a presidenta do Sindjor não pôde estar hoje aqui e me incumbiu dessa tarefa. Nenhuma dirigente do Sindjor é liberada do trabalho, o que dificulta a nossa participação em diversas atividades, como a própria Tribuna Livre, pelo fato de eu estar trabalhando em uma assessoria que entende a importância da luta sindical, fui autorizada a estar aqui hoje.

É preciso registrar minha alegria em estar aqui em pleno mês em que comemoramos o dia internacional da mulher, já que esta gestão, que teve início em 2007 e termina agora em 2010, é conduzida por três mulheres, a presidenta keka, a secretaria-geral, Márcia Raquel, e eu, Alcione dos Anjos, tesoureira. Todas, jornalistas diplomadas. Keka, formada na Federal de Minas Gerais, eu e Márcia, aqui na UFMT.

Para quem não sabe, o jornalista é aquele profissional que ‘cobre’ as reivindicações de todas as outras categorias, apura a matéria, vivencia as dificuldades dos profissionais das mais diversas áreas e expõe tudo isso no jornal, na TV, na internet, e no rádio. Leva a informação à sociedade.

Mas, nunca, ou quase nunca, consegue publicar suas reclamações trabalhistas nesses meios, já que eles pertencem ao patrão do jornalista.

São tão raros os momentos em que os jornalistas podem expressar publicamente seus problemas, que eu poderia ocupar todo o tempo dessa Tribuna Livre falando das aflições da categoria, que são muitas... vão desde baixa remuneração, salários atrasados, passando por falta de estrutura para trabalhar, acúmulo de função, carga horária excessiva, assédio moral nas redações, perseguição, ameaça etc, etc, etc....

Porém, um tema primordial para a categoria é a questão salarial. Os jornalistas estão em plena Campanha Salarial, nossa data base é 1º de maio.

Nos dois últimos anos, a atual diretoria do Sindjor tentou, sem sucesso, negociar com os empresários da comunicação de Mato Grosso, notadamente com os que possuem as maiores empresas sediadas em Cuiabá, pois fazendo acordo com esses empresários acaba nivelando o mercado como um todo, já que todos têm a Capital e as empresas maiores como referência. Uma outra dificuldade na negociação é que os empresários não possuem um sindicato patronal, pois a conversa tem que ser feita empresa a empresa.

Em 2009 pela primeira vez os delegados regionais de Rondonópolis e Sinop, do Sindicato, convocaram os patrões, também sem sucesso.

Em 2010, mais uma vez, estamos fazendo nosso papel.

Realizamos a Assembleia Geral dos jornalistas no dia 27 de janeiro, discutimos nossa pauta de reivindicação e aprovamos mais de 40 itens reclamados pelos trabalhadores em jornalismo. Publicamos dia 23 de fevereiro o edital de convocação para negociar com o patronato, marcamos o encontro com os empresários no dia 04 de março... tudo certinho.

Porém, o Sindjor foi totalmente ignorado pelos empresários. Das 13 empresas convocadas para a primeira rodada de negociação em Cuiabá, nenhuma compareceu ou enviou representante para dialogar com a diretoria.

Em Rondonópolis, os delegados sindicais tiveram mais sorte, de quatro empresários convocados, um enviou representante, mas também não negociou. Recebeu a pauta, colocou na pasta e levou para empresa ‘estudar’. Até agora não nos respondeu.

O slogan da campanha salarial 2010 é “15 anos sem piso, sem direitos, sem dignidade e agora .... sem diploma”, um resumo da nossa atual situação acumulada nesse período todo e com a decisão no ano passado do STF em derrubar a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão, na tentativa de desregulamentar a profissão.

A última vez que a categoria conseguiu consolidar um piso salarial foi em 1995, eu nem estava na Universidade, entrei em 1998. Na época, o piso fixado foi de R$ 1050,00, que equivalia a 10 salários-mínimos. Hoje, não temos se quer um piso consolidado em lei. Apenas um piso sugerido pelo Sindicato, que são os mesmos R$ 1050,00, mas que agora representa um pouquinho mais de dois salários-mínimos.

Na última Assembleia Geral, a categoria decidiu exigir a implantação de piso único de R$ 2.600,00 e reajuste linear de 20% para todos que atuam na área.

Em 2010, para dar ‘novo gás’ à campanha salarial, trocamos a assessoria jurídica. A diretoria do Sindjor está sendo orientada pelo escritório do advogado Marcos Dantas, que tem mais de 20 anos de experiência em direito trabalhista.

A diretoria está esperançosa de que, se os patrões não nos escutam por vontade própria, a justiça irá garantir os direitos dos trabalhadores em jornalismo.

Este texto será publicado no Blog do Sindjor. Quem tiver interesse em ler este e outros textos da luta sindical dos jornalistas em Mato Grosso pode acessar o endereço eletrônico sindicatodosjornalistasmt.blogspot.com ou ainda ligar no 3025-4723.

Vereador Sérgio Cintra, demais vereadores e colegas da imprensa, mais uma vez, em nome do Sindjor-MT, agradeço a atenção e a oportunidade.

Nenhum comentário: