DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

12 de jan de 2010

Sétima entrevista da série: "Jornalistas de Mato Grosso: o que pensam?"


Paola sai em defesa de MT, que, segundo ela, é, sim, terra de ganhar dinheiro!


Por Keka Werneck



A jornalista Paola Carlini, 32, é bastante espalhafatosa para se comunicar. Fala
com as mãos, conversa alto, sem timidez, parece determinada no que pensa e faz.
É a herança italiana e de uma família, segundo diz, empreendedora. Nome completo: Ana Paola
Carlini Menna Barreto. Nasceu em Condor (RS) e veio para Cuiabá, aos 5 anos, com
os pais. “Meu pai veio pra Jaciara trabalhar como agricultor e pecuarista.
Morei em Jaciara, Rondonópolis e Cuiabá”. Paola cresceu, formou-se jornalista
pela UFMT (1995 a 1999) e fez duas especializações (Marketing Político para
Jornalista ESPM e Relações Internacionais pela UFMT). Casou, teve uma filha, a
Valentina (“minha inspiração e transpiração”). E montou uma empresa de
Assessoria de Imprensa, a Ícone. Fala em ganhar dinheiro sem pudores e faz uma defesa irritada de Mato Grosso como eldorado agrícola. “Quem diz o contrário ou não
conhece a história onde vive, ou só conhece terra debaixo da unha, ou ainda é
mais um alienado de esquerda que só fala de problema e não tem capacidade de
apresentar solução”.




A Paola recém-formada em jornalismo e a Paola de hoje têm muita diferença entre elas? Quais?Sempre fui muito determinada e intensa no que faço, sempre soube o quis e nunca deixei (nem meus pais) ninguém dizer que eu não podia fazer aquilo ou isso, que não tinha capacidade. A intensidade continua a mesma. Mas percebo ao longo dos anos que a recém formada era muito ideológica, era romântica, receio que todos saem assim dos portões principalmente de um UF. Hoje sou mais pragmática, mais centrada. E 10 vezes mais determinada. Se tem algo que carrego comigo, desde sempre, é o prazer e alegria de fazer o que faço, em tudo. Sou muito grata ainda em ter trabalhado em redação de impresso. Carrego a experiência de repórter. Até hoje, como pessoa e como profissional. Ter tido a chance de conhecer tantas historias tão distintas me deu um senso de justiça que jamais poderia ter desenvolvido de outro modo.


O que leva um jornalista a montar a própria empresa?
Venho de uma família de empreendedores, meu avós, meu pai, sempre tiveram seu próprio negócio. E as coisas foram acontecendo, a princípio a empresa foi montada com quatro sócios, depois ficaram duas. No entanto, penso que só eu queria a empresa. Fui comprando a parte de cada um até a maior parte, como tenho hoje, mas tenho uma sócia, a Ana Assumpção, que começou como minha estagiária. Acho que a idéia de construir algo e ser reconhecida no que faço me move todos os dias. Apesar dos impostos, custos altos para micro empresa...enfim...


Diploma de jornalista tem algum valor? Para quê? Você defende ou não a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo?
Em absoluto, sou completamente favorável ao diploma. Defendo até o fim. Ué ! Pra ser jornalista não tem que estudar ? Rasgaram todos livros. Vamos fazer a revolta dos burros dos que acham que sabem escrever. Centenas de profissionais escreveram livros, publicaram teses, todos elocubram até hoje como se dá o processo Mensagem e Meio e vem um dizer que não tem que estudar pra isso! Só quem exercita todos os dias a arte de escrever e transmitir sabe o quanto é difícil levar uma idéia ou informação a determinado público.

A convergência das mídias traz mais benefícios ou prejuizos para a divulgação das idéias?
Penso que hoje vivemos uma revolução de opções de acesso à informação, que hoje são dispostas das mais diversas formas com imagem, texto e ilustração. E retroceder este cenário é com certeza restringir a divulgação das idéias.

Ano que vem tem eleições, você sempre vota? É contra o voto nulo? Haverá bons candidatos para votarmos?
Sempre voto e, como já trabalhei em várias campanhas eu avalio o candidato pela vida pregressa e pela consistência das propostas. Voto nulo totalmente contra. Pra criticar ou pedir e exigir tem que exercer seu poder de escolha votando! Ai ai...Bons candidatos, tá dificil! Gosto do perfil empreendedor de uns, já trabalhei pra eles. Mas honestamente não suporto o PSDB e nem quem tem mais de 20 anos no poder. Homem correto, que a sua maneira carregou uma bandeira e foi com ela até o fim foi o senador Jonas Pinheiro, trabalhei com ele e pude notar como este homem conhecia o Mato Grosso.



Você lê qual ou quais revistas? E por quê?
Leio os três jornais de MT e sites todos dias. Revista Época, porque preciso me inteirar de algo nacional semanalmente. Leio Você SA, por que, como empresária, preciso ler sobre gestão, investimento, RH, custos, administração enfim o que move a empresa. E Marie Claire, Vogue por que tenho clientes nesta área e adoro estas futilidades.... !!


Mato Grosso é um estado promissor ou uma parte disso é marketing?
Nunca tive dúvidas, desde a época em que era estudante, que era aqui que eu ia ganhar dinheiro! Parece ter conotação gananciosa esta minha frase. Mas pra mim é paixão! Gente, o que alimenta o PIB brasileiro? Vender manufaturado? Ou vender soja, algodão commodity? Onde isso é produzido? Em Mato Grosso! Eu que vim do Sul, na época em que meu pai se mudou pra Jaciara, início da década de 80, todos do RS já falavam que MT era a terra do desenvolvimento. O RS, apesar de ter milhares de agricultores, não tinha área pra plantar. O Centro Oeste tinha área de terra fértil, extensa e pronta pra trabalhar. Eu vivo aqui desde criança, sempre vivi em fazenda e vejo como isso transforma sua região. Tive a oportunidade de conhecer 96 municípios de MT, e não tenho dúvidas: o que se planta no interior gera emprego na cidade. Digo que o Estado cresceu em razão da produção agrícola, porque fiz dois anos de Assessoria pra Agrishow Cerrado 2005 e 2006 e tenho clientes na área de agro. Pude comprovar que a imprensa nacional só escreve sobre isso quando MT tem algo a falar, quando a produção vai bem, preço cai, preço sobe, chove ou há crise internacional. Quem diz o contrário ou não conhece a história onde vive, ou só conhece terra debaixo da unha, ou ainda é mais um alienado de esquerda que só fala de problema e não tem capacidade de apresentar solução.



Qual é o principal problema social no bairro onde você mora?
Depois que me tornei mãe - meu deus como isso transforma a gente! - o que mais me revolta é o abandono das crianças, falta de escolas e principalmente de creches. Hoje ajudo algumas creches e, nós, da Ícone, assessoramos o Projeto Via Lactea, que ajuda mães carentes no processo de amamentação e deve se tornar o primeiro banco de leite de MT.


Qual das sete artes - literatura, pintura, música, teatro, escultura, dança e cinema - você mais aprecia?
Adoro ler, mas a Valentina ocupa todo o meu tempo de leitura, hoje eu leio pra ela. E adoro cinema. Mas a música define e inspira todas as etapas da minha vida.
Quando você sente cheiro de chuva, isso te lembra o quê?
Infância, felicidade..... Em Cuiabá .. alívio.....


Aborto é crime?
É ..se não quer ter filho, use contraceptivo. Óbviooooooo.


A família deve ser liberal ou autoritária?
Um misto dos dois. Pra ter direitos tem que ter deveres. A recompensa do cumprimento dos deveres é a liberdade, bem dosada. Fui educada assim e será como meus filhos serão educados.


Camisinha incomoda na hora da transa?
Não tem essa de incomodar: é fundamental.


A melhor matéria tem quais elementos?
O que, onde, como, quando, por que e uma aspas com uma boa dosada de provocação, na curiosidade do leitor em saber mais. Na comunicação corporativa, você tem que alimentar o repórter e por consequência o leitor de noticias que levem a outras.


Os jornais mentem quanto: numa escala crescente de 0 a 10?
Difícil e comprometedora. Falo com editores e repórteres todos os dias. Acho que não tem essa de mentira. O que ocorre são as “interpretações” levadas pela linha editorial.


Você é do tipo que se incomoda com tudo que anda errado ou mais desligada?
Me incomodo. No dia que parar de me chatear com o que vejo de errado,seja em um buraco na rua ou um escândalo político, me interna porque não tô bem!


Qual é o mal deste século?
A Intolerância e o egoísmo em todas as escalas.

4 comentários:

Nicole Leal disse...

Adorei ver minha chefe estampada por aqui. Sem "puxar o saco", admiro ela em todas as atividades, como chefe, mãe, esposa, amiga, enfim...espalhafatosa! Vcs estão de parabéns pela iniciativa de produzir essas entrevistas! Que venham sempre mais jornalistas e cada vez melhores!

Bianca Persici disse...

Parabéns ao Blog! Parabéns a Paola!
Fui uma das sócias fundadoras da Ícone e vivemos juntas todas as dificuldades de ser um empreendedor no Brasil. Além de toda a burocracia, não é nada fácil entrar no mercado. Mas sempre pautamos nosso trabalho pelo profissionalismo e a ética. Também procuramos levar para a Ícone um diferencial – o planejamento de comunicação tanto para os clientes de assessoria de imprensa, como para aqueles de comunicação institucional. E a Paola mantém essa filosofia de trabalho até hoje, nesses cinco anos de empresa.
Tudo isso, somado a experiência, determinação e competência da Paola e sua equipe são os elementos do sucesso dessa jornalista gaucha de nascimento e mato-grossense de coração.
Bianca Persici – Relações Publicas

Ricardo disse...

Parabéns Maravigata ...Eu e Valentina estamos orgulhosos de você e sabemos da tua luta e dedicação constante ao Jornalismo.

Rose Domingues disse...

Adorei a entrevista, adorei a Paola. Querida, muito sucesso a você neste ano de 2010! Ah, sobre os filhos, 'se não tê-los, como sabê-los'? Bom demais ser mãe. bjão e fica com Deus.