DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

9 de jun de 2009

Deputado petista pede mobilização em defesa de diploma de jornalismo

Em discurso da Tribuna o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) convidou toda a sociedade para se mobilizar em torno do julgamento da obrigatoriedade do diploma de jornalista. A matéria está na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quarta-feira (10). O julgamento de recurso extraordinário questiona a formação superior para exercício da profissão e registro profissional.

Paulo Pimenta, que é jornalista formado, se manifestou indignado com o julgamento do fim de diploma para profissão e disse que, além da desregulamentação da atividade profissional do jornalista, o tema interessa somente ao poder econômico. “Significa impor barreiras para a educação e limitar a qualidade do ensino superior”.

Pare ele, a não obrigatoriedade do diploma, significa o fim das faculdades de jornalismo, da pesquisa e da reflexão acadêmica. “Acontece no momento em que as tecnologias inovam, são complexas, e precisamos ter profissionais qualificados e que, do ponto de vista dos aspectos humanos e do direito ao contraditório, tenham em sua formação conhecimentos básicos que permitam o exercício desta profissão a partir de princípios éticos fundamentais”, disse o deputado.

Pesquisas - O deputado citou pesquisas que afirmam que 74,3% da população é a favor do diploma de jornalista. Para ele, o fim da exigência do diploma, afeta não apenas os profissionais de jornalismo e os milhares de estudantes do curso pelo país que lutam com para conquistarem o diploma, mas a sociedade também, porque terá uma imprensa menos autônoma, um profissional menos qualificado, menos preparado, à mercê do interesse econômico e do sabor do interesse patronal”, frisou o parlamentar.

O deputado finalizou o discurso pedindo unificação entre os jornalistas, entidades e instituições de ensino para sensibilizar o Supremo, criticando que o órgão tenha colocada o tema em pauta para julgamento em véspera de feriado.


Fonte: Liderança PT/Câmara

Nenhum comentário: