DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

16 de out de 2008

Bancários contabilizam vitórias em MT - Deu em A Gazeta


Rose Domingues
Da Redação
Crédito da foto: Marcello Casal Jr./ABr

A greve dos bancários completa 9 dias hoje com vitória dos manifestantes na Justiça do Trabalho. Somente esta semana, 4 decisões foram tomadas, em todas elas foi mantido o direito à paralisação como garantia constitucional. Duas delas se referem ao Banco Bradesco em Cuiabá e Várzea Grande, que entrou contra o Sindicato dos Bancários e dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Seeb) no Estado de Mato Grosso para que não pratique ato que impeça o acesso de funcionários e clientes. Caso respeite esse procedimento, o juiz Edílson Ribeiro da Silva, reconhece em seu despacho que os grevistas podem inclusive fazer mobilização a partir de meios sonoros e visuais.

Na segunda-feira (13), o juiz Alex Fabiano de Souza, concedeu o pedido do sindicato para que 12 bancos não adotem nenhum métodos que impeçam o livre exercício do direito de greve, permitindo a entrada de dirigentes sindicais nas agências e manifestações pacíficas da categoria. As determinações valem para o Bradesco, Banco da Amazônia, Banco do Brasil, Itaú, Mercantil do Brasil, Real ABN Amro, Rural, Santander, Sudameris, Caixa Econômica Federal, HSBC e Unibanco. Também em outra decisão, o mesmo juiz negou, na terça (14), o pedido de reconsideração feito pelo Banco Real. A instituição bancária pedia que fossem proibidas, nas proximidades de suas agências, as atividades dos bancários em greve.
O presidente do Seeb, Arilson Silva, garante que os 30% de funcionários garantidos por lei estão trabalhando para oferecer manutenção dos serviços essenciais nos caixas eletrônicos. Ao contrário do que os bancos alegam, são eles que estão praticando constrangimento para que os funcionários voltem a trabalhar. "Se em nível nacional houver uma proposta decente dos banqueiros, vamos nos reunir hoje ainda, para decidir se continuamos com a greve".

Nenhum comentário: