DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

2 de jun de 2008

Sindjor e patrões acordam reajuste mas ainda debatem piso salarial

CAMPANHA SALARIAL 2008

Os patrões, numa tentativa de esvaziar as rodadas de negociações, chegaram a dizer que se sentem constrangidos diante da presença de tantos jornalistas nas reuniões

O Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT) participou hoje da primeira rodada de negociação salarial com os patrões sob a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT). O clima tenso das rodadas anteriores realizadas no Sindicato permaneceu. As principais cláusulas discutidas foram as econômicas: piso salarial e reajuste.

Referente ao reajuste, foi fixado em acordo um reajuste de 5,9% linear, para Capital e interior, retroativo a 01 de maio de 2008. Esse percentual se refere ao INPC acumulado no período de 01 de maio de 2007 a 30 de abril de 2008. No que diz respeito ao estabelecimento de um piso salarial para a categoria ainda não foi possível fechar o acordo. Porém, os patrões elevaram a proposta para R$ 1,250 mil na Capital e R$ 950 para o interior, condicionado com a criação do banco de horas e a possibilidade de o jornalista dirigir o veículo da reportagem.

No entanto, o Sindjor, entendendo que não deve abrir mão do estabelecimento de um piso único para o Estado, fez outra contraproposta nos seguintes termos: piso salarial único no valor de R$ 1,250 mil e a possibilidade de discutir com a categoria a criação do banco de horas. Já a possibilidade de jornalista dirigir veículo de reportagem foi novamente rechaçada pelo Sindicato.

Diante das contrapropostas apresentadas, a procuradora do Trabalho, Eliney Bezerra Veloso, que mediou a rodada de negociação, sugeriu uma próxima rodada de negociação para finalizar o acordo, se esse for o entendimento das partes.

Foi acordado que o próximo encontro será na quarta-feira (11) da próxima, às 10h, na sede do Ministério Público do Trabalho. Para discutir a proposta do banco de horas, o Sindjor está convocando a categoria para Assembléia Geral na próxima quinta-feira (05), às 19h30, em primeira convocação e 20h em segunda convocação.

Desde o início da campanha salarial 2008, em 16 de janeiro, está é a quarta-vez que os jornalistas se assentam com os patrões e seus representantes. Apesar da pressão comum em todas as rodadas realizadas até agora, a expectativa é conseguir acordar um piso único para a categoria, que desde 2004 - data de validade da última campanha salarial – não possui piso fixado por meio de acordo ou convenção coletiva. Vale destacar ainda que o piso sugerido atualmente pelo sindicato, de R$ 1050,00, foi estabelecido em 1998, quando o mesmo representava mais de 08 salários mínimos. Este mesmo piso foi referendado em 2003, por meio de dissídio, e, agora, 10 anos mais tarde, esse valor representa pouco mais de dois salários mínimo.

Das quatro empresas convocadas pelo Sindicato dos Jornalistas, Grupo Gazeta, TVCA, Grupo Diário de Cuiabá e Grupo Sávio Brandão, esta última foi a única que não enviou representantes para a rodada de negociação no MPT. Além da diretoria e do advogado do Sindjor, Francisco Faiad, estiveram presentes representantes do Sindjor em Sinop, Daniela Melhorança, e em Rondonópolis, Roberto Nunes Alves.

Nenhum comentário: