DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

17 de jan de 2008

Jornalistas reivindicam piso de R$ 2,1 mil



Os jornalistas de Mato Grosso decidiram na noite de quarta-feira (16), em Assembléia Geral, reivindicar um piso salarial único de R$ 2,1 mil. O piso da categoria não é revisto desde 1995, já que foi mantido, em 2003, pela justiça. A Assembléia aprovou ainda um reajuste de 15%, indo a 20% para os que estão no mesmo cargo há 3 anos ou mais.

Este reajuste é orientado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Uma pauta de reivindicações com mais de 70 cláusulas será levada para as rodadas com as empresas, a serem agendadas até 1º de maio, data base dos jornalistas. Se não houver acordo, outra Assembléia será convocada para que a categoria decida se quer levar a questão a dissídio coletivo na justiça.

“Os jornalistas entendem que lidam com a vida trabalhista de todas as categorias e que não podem mais deixar de cuidar também dos próprios direitos”, diz a presidente do Sindjor-MT, Keka Werneck. “Além disso, na Assembléia, ficou claro que, devido à importância social da profissão, da responsabilidade em lidar com as pessoas, não é justo recebermos salários tão baixos e muitas vezes com atraso”.

Uma das cláusulas tida como muito importante é a que trata sobre assédio moral, uma prática que o Sindjor-MT rechaça. Outra é sobre estágios, não podendo haver número excessivo e nem abuso dos estudantes que estão nas empresas para aprender e não para serem explorados. “Por lei federal o estágio é proibido. Mas, a realidade acabou colocando esta legislação no arcaísmo, e o que o Sindicato fez foi acordar com as empresas na tentativa de regular o mercado. Por isso todos os estágios devem ter o aval do Sindjor”, esclarece a tesoureira, Alcione dos Anjos.

Com a pauta em mãos, o Sindjor-MT vai começar a convocar as empresas, com a assessoria do advogado Francisco Faid, que também é presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A diretoria do Sindjor-MT ressalta que reuniões ordinárias continuam a acontecer, todos os sábados, às 14 horas, na sede do Sindicato. E que essas reuniões são abertas a todos.

2 comentários:

Márcia Raquel disse...

Parabéns pela mobilização! Não pude estar na AG mas estou acompanhando essa nossa luta. A união é o princípio da luta de classes.
Força sempre!

valdeque matos disse...

Também não pude participar dessa AG histórica. Digo hitórica: sim. A AG foi a concretização de uma luta que começou no ano passado de forma tímida, que foi ganhando corpo e hoje possibilita que os jornalistas de Mato Grosso soltem em alto e bom tom o grito que estava engasgado há muito: SOMOS TRABALHADORES E EXIGIMOS RESPEITO. QUEREMOS UM PISO DIGNO, SALÁRIOS EM DIA E ACIMA DE TUDO: DIGNIDADE!!! Por isso, aqui de Guiratinga, no sul de Mato Grosso, quero dar os meus parabéns a todos os colegas pela mobilização conseguida para esta primeira AG da atual gestão. Nâo podemos mais recuar, basta de passividade que leva à humilhação e o desrepeito para com a nossa categoria. Agora, caros colegas e companheiros de luta, devemos continuar mobilizados. A luta é permanente, nunca devemos nos esqueçer disso. Abraços e saibam que, mesmo distante, estou acompanhando a luta que é de todos nós. Abraços e hasta la vitória siempre!!!